terça-feira, 28 de fevereiro de 2012


um vaga-lume à toa







Nas mãos,
A dança dos ponteiros
Nos olhos da mulher
Um vaga-lume indócil.

Nas mãos,
A travessia noturna,
Nos olhos da mulher
Um vaga-lume imóvel.

Nas mãos,
O desatino  e o alento
Nos olhos da mulher
Transita um vaga-lume inútil.

Um comentário:

  1. tao bella poesia... aos olhos de quem pode entender...

    ResponderExcluir